RECÔNDiTOS DO FEMININO: ESPAÇOS DE SUBJETIVAÇÕES DA MULHER EM PARINTINS

Esta ensaio discute a funcionalidade dos dispositivos arquitetônicos do largo da Igreja do Sagrado Coração de Jesus que inclui o educandário religioso Colégio Nossa Senhora do Carmo que hipoteticamente estão implicados na (con)formação do ser feminino em Parintins-AM com suas nuances e verdades constituídas. A igreja do Sagrado Coração de Jesus que funciona como dispositivo … Continue lendo RECÔNDiTOS DO FEMININO: ESPAÇOS DE SUBJETIVAÇÕES DA MULHER EM PARINTINS

A violência contra a mulher sob a olhar da pesquisa e dos movimentos sociais

Como a violência contra mulher é abordada nos programas de pós-graduação no Amazonas, em especial, na área de Serviço Social? Essa foi a temática que norteia este TEXTO, que faz parte DE UMA PESQUISA de Conclusão do curso de Serviço Social, do ICSEZ/UFAM. Aqui, em especial, também fazemos um paralelo para além da importância da … Continue lendo A violência contra a mulher sob a olhar da pesquisa e dos movimentos sociais

Imagem, hashtags e produção de sentidos associados ao Icsez/Ufam no Instagram

Os processos de comunicação por meio das redes sociais se tornaram práticas cotidianas comuns e essenciais na sociedade contemporânea. TAnto relações pessoais, como profissionais e comerciais se desenvolvem fazendo uso dessas ferramentas. Entre as que detêm maior concentração de participantes no ciberespaço ou ambiente virtual (LÈVY, 1996) está a rede Instagram. Por Soraia Maria Castro … Continue lendo Imagem, hashtags e produção de sentidos associados ao Icsez/Ufam no Instagram

O COMÉRCIO FLUVIAL NA AMAZÔNIA DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XX

É importante destacar que desde o século XVIII, o consumo de guaraná era bastante intenso na região de Maués, graças às informações veiculadas por cronistas, já no século XVII, sobre as suas propriedades e efeitos. Este era feito pelos Sateré-Mawé e, também, por não indígenas, especialmente por suas propriedades e efeitos estimulantes – em decorrência … Continue lendo O COMÉRCIO FLUVIAL NA AMAZÔNIA DO SÉCULO XVIII AO SÉCULO XX

GRAFITE, ARTE E LUGAR NA PANDEMIA

O espaço habitado em sociedade é, historicamente, um lugar de manifestações, articulações e organização das interações humanas e de todo o universo de significados que circundam suas operações sociais. E é interessante observar como se dão no tempo e no espaço das territorialidades esses movimentos que têm, em sua base, processos comunicativos. São processos dinâmicos … Continue lendo GRAFITE, ARTE E LUGAR NA PANDEMIA

REFLEXÕES SOBRE CONVERGÊNCIA JORNALÍSTICA E TECNOLOGIAS DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO (TICs) EM COMUNIDADES RIBERINHAS NO AMAZONAS

Nas últimas três décadas, impulsionado pela convergência dos meios de comunicação e pelo avanço das tecnologias da comunicação e informação (TICs), o jornalismo reorganizou-se como profissão e vive um período de contínua transformação.  A profissão jornalística teve que reconfigurar-se diante da Cultura da Convergência (JENKINS, 2013) e da Cultura da Conexão (JENKINS; GREEN; FORD, 2015) … Continue lendo REFLEXÕES SOBRE CONVERGÊNCIA JORNALÍSTICA E TECNOLOGIAS DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO (TICs) EM COMUNIDADES RIBERINHAS NO AMAZONAS

HOMENS-ANFIBIOS: OS PARADOXOS HUMANOS NA LIQUIDEZ AMAZÔNICA

Maromba Toada boi Caprichoso (1989)O brilho, ô brilho O brilho, ô brilho do SolNão deixe os Andes chorar Não deixe não quando os Andes choram Vai ter cheia grande Ai o povo vai penar Maromba, maromba, maromba marombê Maromba, maromba, maromba marombá Mas eu te imploro Piedade pro povo que mora na beira do rio … Continue lendo HOMENS-ANFIBIOS: OS PARADOXOS HUMANOS NA LIQUIDEZ AMAZÔNICA

Crise capitalista, questão indígena e comunicação: resistência em tempos pandêmicos

Os tempos são estranhos. Em um espiral histórico de acontecimentos, o início da segunda década do século XXI tEm impactado ferozmente milhares de pessoas em todo o mundo.  As crises são as mais diversas, grande parte delas aprofundada, cada vez mais, por um sistema capitalista que vem agudizando as desigualdades sociais e econômicas em todo … Continue lendo Crise capitalista, questão indígena e comunicação: resistência em tempos pandêmicos

DESAFIOS DO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS NAS ESCOLAS INDÍGENAS DO AMAZONAS

“O estado do Amazonas é detentor da maior diversidade de línguas indígenas do Brasil: são acima de 50 línguas faladas por cerca de 150.000 indígenas, divididos em 64 povos, distribuídos nos 72 municípios do Estado” (SIMAS, 2016, p. 140). Esse contexto linguístico da região gera muitas reflexões quando o assunto é ensino-aprendizagem de línguas em … Continue lendo DESAFIOS DO ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS NAS ESCOLAS INDÍGENAS DO AMAZONAS

ELEVÉ ACARAÚ

Qual o lugar da arte? Onde ela acontece? Quem pode acessá-la? Quando se pode percebê-la? Como a sentimos? As tensões em torno dessas questões são o objetivo principal buscado neste ensaio que usa a fotografia como instrumento de provocação e convite à reflexão. Do francês, o termo “Elevé” dá nome a uma das posturas do … Continue lendo ELEVÉ ACARAÚ

AMAZÔNIA, FOTOGRAFIA, CIBERATIVISMO E MARKETING DIGITAL: CONEXÕES POSSÍVEIS

As lutas em defesa de questões sociais e ambientais são responsáveis pela conquista de avanços significativos para a manutenção da vida em sociedade, especialmente quando está em jogo a vida de grupos ou ecossistemas mais vulneráveis. Entretanto, o que poucas instituições com fins lucrativos percebem é que o apoio a essas lutas pode lhes proporcionar, … Continue lendo AMAZÔNIA, FOTOGRAFIA, CIBERATIVISMO E MARKETING DIGITAL: CONEXÕES POSSÍVEIS

O fato no jornalismo e o desafio das notícias em tempos de desinformação em rede

Vivemos em um período confuso da história, algo que nossa geração ainda precisa se adaptar com a enorme quantidade de informações disponíveis na palma das nossas mãos. O jornalismo como entidade que detém a credibilidade e o monopólio simbólico das informações transferidas para a sociedade, agora vive sob constante concorrência de outros conteúdos que rebatem … Continue lendo O fato no jornalismo e o desafio das notícias em tempos de desinformação em rede

A COMUNICAÇÃO E AS ARTICULAÇÕES DE COMUNIDADES RIBEIRINHAS EM REDES SOCIAIS DIGITAIS

Ainda são muitos os desafios enfrentados pelos povos tradicionais (indígenas, ribeirinhos, quilombolas) que vivem na Amazônia brasileira, região que no decorrer de séculos de ocupação e colonização tem colecionado experiências de tentativas de modelos de “desenvolvimento” e experiências marcantes de expropriação em favor de interesses internacionais (LOUREIRO, 2008)¹. Dentre esses desafios estão as articulações de … Continue lendo A COMUNICAÇÃO E AS ARTICULAÇÕES DE COMUNIDADES RIBEIRINHAS EM REDES SOCIAIS DIGITAIS

MOVIMENTO LGBT INDÍGENA NO INSTAGRAM: NET-ATIVISMO, VISIBILIDADE E ARTICULAÇÃO

Refletir sobre as conquistas alcançadas pelos movimentos sociais é uma prática sempre necessária, especialmente no Brasil. Essa reflexão É ainda mais latente quando envolve movimentos sociais híbridos, como é o caso do Movimento LGBT Indígena, que reúne, em uma mesma voz, lutas algumas vezes disputadas pelos Movimentos LGBT (FACCHINI, 2012) e, em outras, pelos Movimentos … Continue lendo MOVIMENTO LGBT INDÍGENA NO INSTAGRAM: NET-ATIVISMO, VISIBILIDADE E ARTICULAÇÃO

A paisagem da beira em contraste

As relações insustentáveis entre o homem e a natureza são motivo constante de preocupação mundial. A insensatez e irresponsabilidade cultivados na dormência do cotidiano põem em risco a manutenção e a sobrevivência de um dos tesouros da floresta amazônica, os seus rios. Por Ralf Cordeiro BatistaAcadêmico do curso de Jornalismo do Instituto de Ciências Sociais, … Continue lendo A paisagem da beira em contraste

Tornar a educação mais justa é possível com a pandemia?

Muitos sistemas de educação já estavam com problemas antes da doença coronavírus (covid-19) se tornar uma pandemia global em 11 de março de 2020. Em seu primeiro Relatório de Desenvolvimento Humano em 2018, que foi inteiramente dedicado à educação, o Banco Mundial (2018) anunciou um relatório global de crise e aprendizagem que, entre muitas outras … Continue lendo Tornar a educação mais justa é possível com a pandemia?

A poética do cotidiano e o exercício do olhar em campo reduzido

Antes da pandemia não percebíamos que existia um mundo de possibilidades dentro de nosso lar. Na correria do dia a dia parar e observar o que está bem diante de nossos olhos, que anseia para ser descoberto e apreciado, não é tarefa fácil. A instigação se transformou em uma ponte para a criatividade, cooperando para … Continue lendo A poética do cotidiano e o exercício do olhar em campo reduzido

A Vacina do Covid-19 e a crise da desinformação no WhatsApp

A pandemia do Covid-19 foi sem dúvida um dos principais acontecimentos de 2020. Nesse período, escolas, departamentos públicos, restaurantes, academias e empresas tiveram que fechar provisoriamente como medida para evitar a disseminação da doença. Nesse contexto, a descoberta da vacina para a imunização tornou-se cada vez mais desejada no mundo todo. A falta de informações … Continue lendo A Vacina do Covid-19 e a crise da desinformação no WhatsApp

Idosos e Pandemia em uma sociedade desigual

O ano de 2020 já pode ser considerado como o período pandêmico mais impactante para idosos em todo o mundo. O crescimento exponencial da população idosa nos anos anteriores indicava para os setores de saúde que a longevidade alcançada por muitos era o acúmulo dos avanços da medicina para esse público. No entanto, mesmo com … Continue lendo Idosos e Pandemia em uma sociedade desigual

SOBRE ILHA, QUARENTENA E URUBUS

Texto publicado originalmente na Revista Dobra, publicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (IELT/NOVA FCSH), em parceria com a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa − Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes (CIEBA/FBAUL), em Portugal, e a Universidade Federal do Rio de … Continue lendo SOBRE ILHA, QUARENTENA E URUBUS

ASSOCIATIVISMO RURAL EM PARINTINS-AM: EXPERIÊNCIAS DE LUTA E RESISTÊNCIA

A organização social e política dos povos que vivem nas terras, águas e floresta amazônica está para além da formalidade jurídica imposta pelas legislações brasileiras. Os povos dessa região, já há muito tempo, organizam-se coletivamente para tomadas de decisões na busca de estratégias para garantir as suas sobrevivências, diante de uma lógica econômica de exploração … Continue lendo ASSOCIATIVISMO RURAL EM PARINTINS-AM: EXPERIÊNCIAS DE LUTA E RESISTÊNCIA

“Povos ameríndios conectados”: podcast sobre a influência midiática em comunidades tradicionais

Apesar de muito se discutir sobre a evolução do homem, neste século pouco ainda se colabora para que os povos ameríndios possam ter voz ativa na sociedade, deixando-os à margem das necessidades essenciais como cidadãos pertencentes a uma nação.  E muito do que tem sido exposto sobre esses povos é praticamente uma “utopia negativa”. Segundo … Continue lendo “Povos ameríndios conectados”: podcast sobre a influência midiática em comunidades tradicionais

Para pensar as tensões e dilemas das redes digitais

A discussão da afetação das tecnologias não é nova, contudo no momento da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) que nos forçou a ficar ainda mais mediados entre telas, esse debate voltou à tona com a exibição do documentário na Netflix – O Dilema das Redes. A produção baseada a partir de relatos de profissionais que … Continue lendo Para pensar as tensões e dilemas das redes digitais

Quando os muros viram telas: a comunicação e a arte do grafite em Parintins

A pesquisa “A arte do grafismo em Parintins: uma abordagem folkcomunicacional de movimentos populares urbanos”, oriunda do Programa de Iniciação Científica (Pibic/CNPq) se propôs a investigar o grafite que é considerado uma arte urbana através da comunicação popular, na perspectiva da folkcomunicação. Por Joiana Costa Reis Acadêmica do 8º período do curso de Comunicação Social … Continue lendo Quando os muros viram telas: a comunicação e a arte do grafite em Parintins

(Bio)grafias do subsolo: sobre moradores de rua em uma cidade amazônica

Há alguns anos orientei um grupo de alunos do curso de Jornalismo na disciplina Realidade Histórica e Social do Brasil a produzirmos juntos um trabalho de campo para subsidiar um artigo sobre as condições de vida de moradores de rua em Parintins. Sobretudo, aqueles que se abrigavam nas marquises da praça do mercado municipal, lugar … Continue lendo (Bio)grafias do subsolo: sobre moradores de rua em uma cidade amazônica

O olhar das pequenas coisas ou a vida em “desacontecimento”

Para subsidiar o meu comentário, estabeleço uma aproximação com o conto A carta roubada, de Edgar Allan Poe (2003). Meus estudos mais recentes procuram compreender como o olhar jornalístico pode propor novas reflexões sobre o que se entende como sujeitos comuns e suas realidades cotidianas. Por Francisco Aquinei Timóteo QueirósDoutor em Ciências da Comunicação (Unisinos). … Continue lendo O olhar das pequenas coisas ou a vida em “desacontecimento”

PARA ALÉM DE UM CLICHÊ PANDÊMICO

Em uma densa discussão sobre a beleza, o belo e a arte, Sontag, 1981, observa que a arte faz mais do que nos instruir sobre como e o que apreciar na natureza. E, para além do que fez a poesia e a pintura, os padrões de beleza na natureza são hoje, em larga medida, estabelecidos … Continue lendo PARA ALÉM DE UM CLICHÊ PANDÊMICO

O net-ativismo indígena e as apropriações das redes no combate ao Covid-19, no Amazonas

Povos amazônicos vivem na floresta há pelo menos 11 mil anos. A chegada dos primeiros habitantes, de acordo com Neves (2013), é tão antiga quanto em outras áreas da América do Sul e se refere à época de transição entre o Pleistoceno e o Holoceno. Mas o cenário se modificou bastante com o período renascentista/moderno, … Continue lendo O net-ativismo indígena e as apropriações das redes no combate ao Covid-19, no Amazonas

A artesania musical de Pedro Cesar Ribeiro: rios, plantas, bichos, gentes e outras encantarias amazônicas

Na sombra caladaNo Igarapé dos CurraisVem respirar peixe-boiVem me contar como foiPor que mataram o meu boi?Mãe Catirina não foiDa sombra cansadaDa várzea no CaldeirãoVem, peixe-boi, na cançãoO teu coro é muito forteCanta a minha sorteNa noite da minha dorTua “mixira” me alimentaMinha vida inventaForte é que eu não sou (letra da música "Igarapé dos … Continue lendo A artesania musical de Pedro Cesar Ribeiro: rios, plantas, bichos, gentes e outras encantarias amazônicas

Povos esquecidos, o rosto de Deus

Na Amazônia é possível encontrar ao longo dos rios populações que são vistas como vivendo em um modo de vida inteiramente conectado com natureza, pelo fato de sobreviverem a partir da pesca, extrativismo vegetal e pequenas plantações, e onde a vida e dinâmicas são regidas pelo meio ambiente. este estilo de vida difere daqueles que … Continue lendo Povos esquecidos, o rosto de Deus

Pedro, o bispo ribeirinho e a luta pela preservação da Amazônia

Em seu livro sobre a revolução na Nicarágua, que traz as páginas recolhidas de seu diário, Pedro Casaldáliga, se mostrava muitas vezes comovido. A certa altura, escrevia, “estou… com poucas palavras a dizer. O silêncio me parece um louvor maior. Um silêncio prenhe de palavras maiores também”. Depois nos conta brevemente que “sobre a lápide … Continue lendo Pedro, o bispo ribeirinho e a luta pela preservação da Amazônia

Na imersão da conectividade amazônica em tempos pandêmicos

“Navegar é preciso, viver não é preciso”. Inicio esse texto com esta famosa frase, dita há séculos a centenas de gerações e que podemos relacionar à realidade que vivemos hoje. Afinal, navegar é preciso, mas viver também não é preciso? Por Taíssa Tavares Guerreiro Acadêmica do 8º período do curso de Jornalismo da Universidade Federal … Continue lendo Na imersão da conectividade amazônica em tempos pandêmicos

Entre correntes e banzeiros de Fake News: o compartilhamento de informações e a desinformação nos grupos de WhatsApp de Parintins

Pesquisar sobre o fluxo de informações compartilhadas nos grupos de WhatsApp de Parintins, mostrou-se uma experiência surpreendente, principalmente quando se trata de notícia falsas. A pesquisa “Desinformação em rede: Fake news e o uso da rede social WhatsApp por grupos de camadas populares em Parintins”, realizada em um projeto de iniciação cientifica (PIBIC), da Universidade … Continue lendo Entre correntes e banzeiros de Fake News: o compartilhamento de informações e a desinformação nos grupos de WhatsApp de Parintins

Antinômico Amazônico

O propósito deste ensaio foi antagonizar duas contradições conceituais: o BELO e o FEIO. Um ensaio/estudo sobre aquilo que representa a feiura contemporânea ornamentada pela concepção do belo na cidade de Parintins, uma cidade amazônica, em uma região reconhecida pela sua beleza natural contrastada pela degradação urbana/humana cujos sintomas evidenciam-se a partir do conceito de … Continue lendo Antinômico Amazônico

Cinemas, perfumes e etnocídios – parte II

O Sinérgico à circulação de filmes faroeste em Parintins, o segundo quadro aborda a face material dos impactos econômicos, políticos e culturais representados pelo cinema. Trata-se do “ciclo do pau-rosa”, que basicamente consistiu em um período de 1950 a 1980 de intensa derrubada da árvore Aniba rosaeodora Ducke, da família Lauracea, popularmente chamada de pau-rosa. … Continue lendo Cinemas, perfumes e etnocídios – parte II

Cinemas, perfumes e etnocídios – parte I

O cinema em Parintins começa de forma improvisada em uma barraca de palha localizada no arraial da antiga igreja Nossa Senhora do Carmo. A projeção era de baixa qualidade que se duplicava sobre um pano branco. No inicio dos anos 1950, pós Segunda Guerra, Elias Assayag começa a construção do Cine Teatro Brasil, com um … Continue lendo Cinemas, perfumes e etnocídios – parte I

Pandemia de Covid-19: diário de um confinamento

Começo a contar essa experiência ao recordar o quanto, no final do ano de 2019, queria que chegasse logo 2020. Jamais imaginei que seria um período tão tenebroso e que, pelo que se desenha, lamentavelmente ficará registrado nos anais históricos como a maior crise sanitária da história recente do mundo. Nem as maiores potências mundiais … Continue lendo Pandemia de Covid-19: diário de um confinamento

A escravidão do tempo e a inaptidão dos governantes para a crise

No período de pandemia, assumimos momentos cruciais para pensar. Costumamos a nos referir ao tempo, como um único termo, mas os gregos acreditavam em Cronos e Kairós. O tempo cronológico e o tempo de qualidade. A quarentena deveria nos tirar da condição de Cronos (Deus grego Κρόνος) e nos colocar na qualidade de Kairós (Deus … Continue lendo A escravidão do tempo e a inaptidão dos governantes para a crise

Carta Amazônica: memória de um novo modus vivendi

Algo mudou no caminhar e na vida Depois que a peste se instalou na cidade eu abandonei o tempo. Hoje só vejo a chuva. Inicialmente até me aprofundava sobre o tema. Lia o que podia a respeito dessa moléstia planetária. Mas depois abri mão de tudo quanto era modo de informação. Televisão, rede social, fuxico … Continue lendo Carta Amazônica: memória de um novo modus vivendi

ILHA DESERTA

É comum, em algum momento da vida, as pessoas desenvolverem a abstração de se imaginarem em uma ilha deserta, seguindo o repertório comercial dos anúncios publicitários engessados e estereotipados. Eu mesmo já havia construído, por diversas vezes, um universo de sentidos simbólicos a partir de representações mentais constituídas em torno desse contexto. Contudo, essas imagens … Continue lendo ILHA DESERTA

Pandemia na Floresta: desafios e possibilidades da comunicação em redes no Baixo Amazonas

Dentre as muitas especulações sobre como será o mundo pós-pandemia, nesse momento, é que a vida não será mais a mesma em muitos aspectos da condição da existência humana na sua relação com os não humanos e com os objetos. Essas proposições já vinham sendo temas de debates por alguns autores como Latour (1999; 2013) … Continue lendo Pandemia na Floresta: desafios e possibilidades da comunicação em redes no Baixo Amazonas